Ainda que…

“Ainda que um exército se acampe contra mim, o meu coração não temerá; ainda que a guerra se levante contra mim, conservarei a minha confiança.” Salmista Davi.

valemorte9fn

Uma das marcas da vida de Davi é a confiança plena. Cercado de inimigos como era, e de  pessoas que a qualquer custo queria o seu sangue, exércitos inteiros buscando a sua cabeça, Davi não se entregava aos medos e pavores da milita. Dos horrores de guerra e de pessoas horrorosas para o exterminar.

Havia nele essa certeza… “O SENHOR é a minha Luz e a minha Salvação; de quem terei medo?”  Qual o mortal o faria ter pavor? Qual a circunstância o faria perder a certeza de que a Luz de Deus não o deixaria? E quem dos inimigos poderia trazer danação ao Rei? NINGUÉM. O SENHOR é a  minha Salvação. O Deus pessoal sendo o Deus de pessoas.  Eu tenho que me identificar  a minha pessoalidade para com Deus. Temos entretanto essa confissão?

Teremos nós essa esperança, expectativa em fé, tal qual Davi?

O Problema é que morremos de medo do “AINDA QUE…” Fazemos confissões e mais confissões de fé, mas quando o AINDA QUE se apresenta, parece que a nossa fé se esvai e vai de nossa caminhada existencial.

Estamos prontos para o AINDA QUE dessa nossa jornada? Ou o  AINDA QUE nos aparece e ficamos a deriva dos ventos da incerteza?

Muitos cristãos orariam para o AINDA QUE ficarem longe deles. Muitos cristãos adeptos da falaciosa teologia da prosperidade, fugiriam do AINDA QUE das demandas existenciais.

Poderemos então fazermos  a confissão do AINDA QUE?

Essa é minha meditação nessa noite quente de Setembro, sabendo que muitos AINDA QUE virão ainda para minha  curta jornada aqui na terra.

Na Luz  do Salvador,

                   Mário Celso


Ainda que…

“Ainda que um exército se acampe contra mim, o meu coração não temerá; ainda que a guerra se levante contra mim, conservarei a minha confiança.” Salmista Davi.

valemorte9fn

Uma das marcas da vida de Davi é a confiança plena. Cercado de inimigos como era, e de  pessoas que a qualquer custo queria o seu sangue, exércitos inteiros buscando a sua cabeça, Davi não se entregava aos medos e pavores da milita. Dos horrores de guerra e de pessoas horrorosas para o exterminar.

Havia nele essa certeza… “O SENHOR é a minha Luz e a minha Salvação; de quem terei medo?”  Qual o mortal o faria ter pavor? Qual a circunstância o faria perder a certeza de que a Luz de Deus não o deixaria? E quem dos inimigos poderia trazer danação ao Rei? NINGUÉM. O SENHOR é a  minha Salvação. O Deus pessoal sendo o Deus de pessoas.  Eu tenho que me identificar  a minha pessoalidade para com Deus. Temos entretanto essa confissão?

Teremos nós essa esperança, expectativa em fé, tal qual Davi?

O Problema é que morremos de medo do “AINDA QUE…” Fazemos confissões e mais confissões de fé, mas quando o AINDA QUE se apresenta, parece que a nossa fé se esvai e vai de nossa caminhada existencial.

Estamos prontos para o AINDA QUE dessa nossa jornada? Ou o  AINDA QUE nos aparece e ficamos a deriva dos ventos da incerteza?

Muitos cristãos orariam para o AINDA QUE ficarem longe deles. Muitos cristãos adeptos da falaciosa teologia da prosperidade, fugiriam do AINDA QUE das demandas existenciais.

Poderemos então fazermos  a confissão do AINDA QUE?

Essa é minha meditação nessa noite quente de Setembro, sabendo que muitos AINDA QUE virão ainda para minha  curta jornada aqui na terra.

Na Luz  do Salvador,

                   Mário Celso


Verborragia Virtual

Nesse mundo de turbilhão de informações, linguagens em múltiplas dinamicidades, onde em qualquer lugar e tempo posso digitar o que penso e que não penso, somos compelidos a expressar as nossas palavras que fluem e logo as queremos externar nas nossas redes de relacionamentos, nos nossos guetos modernos, nos nossos mundos virtuais…

Todo mundo quer falar…Todos querem opinar, todos querem verbalizar emoções, estamos sempre com a resposta na ponta da língua…Um mundo globalizado veio e com elas as nossas inquietações de palavras…Há um frenesi exponencial de falar, falar,falar. Nada de quietude, nada de meditações, não há em nós um sossego de alma.

O nosso tempo de calar (Ec. 3.7) findou-se com a chegada das demandas sociais virtuais. A Palavra da Sabedoria nos aponta que o silêncio é a boa arma da prudência. ” Portanto, o que for prudente guardará silêncio naquele tempo, porque o tempo será mau” Amós 5.13

A nossa consciência cristã, bem como a toda a caminhada é sempre a percepção de que ouvir é bem melhor do que falar. Ouvir a vida nos dizer, ouvir a absoluta verdade do Absoluto. É está calado. ” Mas o SENHOR está no seu santo templo; Cale-se diante dele toda a terra”… Já nos informava o profeta Habacuque.

Portanto, cale-se diante dEle toda a arrogância humana, cale-se todas as razões e pretensões..” Cale-se, toda a carne, diante do SENHOR, porque Ele se levantou da sua santa Morada” (Zacarias 2.13).

Temos que aprender com o Mestre, que não se exaltava e nem fazia alardes de sua Voz na praça, que foi oprimido, humilhado mas não abriu a sua boca, que perante um sacerdote surtado nada respondeu, guardando em silêncio tudo. E mesmo diante dos discipulos Ele afirmava…”já não falarei muito convosco…” e que ainda várias vezes ordenou silêncio a todos que fazia o bem.

Voltando ao que disse no começo, somos compelidos a falar…As redes sociais nos impulsionam…Não é errado se expressar, posto que se assim fosse, serei contraditório. Porém o meu questionamento gira em torno dessa nossa verborragia insistente . Uma logorréia de frases, atitudes e comportamentos com muitos anexos e sem nexos…

É todo mundo se “youtubando” a fim de serem aplaudidos pelos números de exibições da nossa vaidade moderna….O que se agigantam no mundo virtual as vezes não passam de mosquitos no mundo real… Nas cacetadas da vida!

Encerro com as palavras do sábio Salomão “Aquele que possui conhecimento refreia as suas palavras, e o homem de entendimento é de espírito sereno” (Provérbios 17.27)

Em Cristo,

Mário Celso


Desligando-se


Carta de desligamento da Igreja Evangélica Assembleia de Deus

À IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS Teresina-PI

Att.: Congregação Parque Piauí e amados irmãos em Cristo Jesus:

Venho por meio desta comunicar meu desligamento dessa conceituada igreja e expressar meus sinceros sentimentos a todos os meus irmãos.

APRESENTAÇÃO:

Foi através dessa igreja, que ouvi e Palavra do Evangelho e a ela me entreguei no dia 22 de Maio de 1994, tornei-me membro dessa comunidade no dia 07 de Agosto do mesmo ano, tornando público a minha decisão. Fui chamado ao ministério local em Janeiro de 2001, tornando-me auxiliar do pastor. No ano de 2005 passei ao diaconato e no ano de 2008 ao presbitério, posição essa que assumo deste então. Essa decisão não foi realizada sem antes ter apresentado a Deus em oração e súplica, com muita sobriedade e equilíbrio. Apresento à Igreja Assembleia de Deus, bem como a minha querida congregação no Bairro Parque Piauí com toda a sua liderança as razões pelos quais estou tomando.

Um dos motivos que norteiam esta decisão não são de ordem partidária, política ou de aspirações ministeriais, mas são de cunho primeiramente estritamente pessoal e de consciência. Como disse um servo de Deus no passado: “Minha consciência é cativa à Palavra de Deus. Ir contra a minha consciência não é nem correto nem seguro”

O Apóstolo Paulo sempre se preocupou a apresentar diante de Deus e dos homens uma consciência pura, atitude essa que também demanda da minha pessoa. Saliento que não há nada pessoal contra seus membros ou líderes. De mim não virá nada do seja indecoroso ou desonroso no que tange ao nome dessa amada comunidade, da qual servi durante 17 anos da minha caminhada. Tenho por grande e máxima consideração e estima a muitos de meus queridos irmãos e de pessoas com amor sincero expressam a mim.

PONTO SECUNDÁRIO, que é o ápice dessa minha decisão, é de fato o politicismo, que é a filosofia política adotada pelas igrejas Assembleias de Deus isso no contexto em geral. Isso vem me causando um certo incômodo, pelas arbitrariedades, manipulações, partidarismos sendo essencialmente o príncipio de governabilidade sustentada pela liderança. Eu julgo ser isso o anti-evangelho, uma contradição de princípios tão simples e explícitos na vida de Jesus e de seus discípulos. PONTOS IMPORTANTES

1. Deixo claro que a minha firme decisão do meu desligamento, não resulta da minha negação à fé cristã, e nem dos princípios bíblicos.

2. A minha vivência com Deus bem como a prática da sua Justiça será a minha escolha permanente em toda a minha vida

3. A minha saída, não significa nenhum ato de rebeldia, ira ou discórdia para com todos os líderes

4. Reitero mais uma vez que a minha decisão é estritamente pessoal e de consciência, uma vez que não a quero ferir e nem tampouco a dos meus irmãos.

5.Essa minha decisão, não diminuirá o meu amor ao Evangelho de Cristo, posto que da Palavra vem o meu alimento diário, e nem extinguirá a pulsão de dentro de mim de expandir o Reino de Deus.

6. Deixo portanto um pedido a todos os irmãos, que em nome de Jesus, não divulgue de forma errada a minha decisão e nem me considere como inimigo, cito o que o nosso Amado Senhor e Salvador Jesus Cristo nos ensina que todos os mandamentos se resumem em apenas dois. Amarás a Deus sobre todas as coisas e o seu próximo como a ti mesmo. (Mc 12:30:33). E que também o “ reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo”. O árbitro dessa minha iniciativa, é a PAZ de Cristo. “Que a paz de Cristo seja o juiz em seus corações, visto que vocês foram chamados a viver em paz, como membros de um só corpo. E sejam agradecidos.” Colossenses 3.15

Concluo dizendo que a minha partida não é resultado de amargura, de ego adoecido ou coisas dessa natureza, apenas livre opção de não continuar congregando com os demais irmãos sem nenhuma mágoa ou rancor. No momento, não tomei nenhuma decisão em que igreja, ou comunidade irei congregar com toda a minha família, sei que em breve estarei com algum grupo de irmãos que confessam o Nome de Jesus, no lugar em que eu julgar ser o melhor para todos da minha casa. Espero contar com a compreensão dos meus amados irmãos

Minha casa estará aberta para receber todos os meus irmãos com muito respeito e afeição a todos.

Essa é a minha decisão! Não tenho mais dúvidas a respeito disso, estou resoluto e sei que é um dos momentos mais difíceis para ser tomado, e sei também que aquilo que Deus começou em mim na Assembleia de Deus irá terminar em um outro lugar, que somente Ele sabe!

No Amor de Cristo,

Mário Celso Santos Almeida

Graça e Paz de Nosso Amado Salvador e Senhor Jesus Cristo


A Oração Como Elo De Amor


“E isto peço em oração: que o vosso amor aumente mais e mais no pleno conhecimento e em todo o discernimento, para que aproveis as coisas excelentes, a fim de que sejais sinceros, e sem ofensa até o dia de Cristo; cheios do fruto de justiça, que vem por meio de Jesus Cristo, para glória e louvor de Deus…”
Paulo aos Filipenses

Qual é a tônica da nossa oração? O que de fato está inserido em nossas vidas e fazemos isso um modo de ser-viver acompanhado das súplices de nossa alma?

Gostamos de dar nomes a uma série de coisas, principalmente no que tange ao mundo espiritual. “Oração forte”, “Orações no monte”, “espírito de oração” e muitas coisas semelhantes a essa.

No viver do apóstolo dos Gentios, oração não se cognominava. Ruminava-se, respirava-se. O maior dos intentos latentes de um coração que ora, é o coração que compartilha o bem espiritual do seu próximo.

Paulo não pediu por uma “manhã de avivamento” na vida dos cristãos de Filipos, não pediu para um “boom” de crescimento vertiginoso religioso…E nem pediu por uma ativação profética para os filipenses.

Não, Paulo pediu para que o AMOR-CONHECIMENTO-DISCERNIMENTO-EXCELÊNCIA fosse de fato a marca dos seus irmãos…

Que linda oração!!!! Onde estãos os líderes que oram de fato assim…Onde o Amor seja a base de todas as ações e reações dos cristãos?

Tudo isso tinha um próposito FINAL para Paulo: “…a fim de que sejais sinceros, e sem ofensa até o dia de Cristo; cheios do fruto de justiça, que vem por meio de Jesus Cristo, para glória e louvor de Deus…”

Pai Querido, que o meu coração ore sempre assim…Amém

Mário Celso, depois de um tempo sem escrever…


2011: Embates e Combates


O ano novo chega, com ele também perspectivas de toda sorte de coisas, sendo boas ou más… Claro como cristão cheio da Esperança em Deus, só devo anelar coisas dignas e louváveis. Porém a vida cristã não é tão ‘romântica’ assim.

Devo estar ciente que o dia mau virá…E só posso combatê-lo tendo consigo a armadura de Deus. É só refletir em Efésios 6.”No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder.

Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo.

Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.

Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes.

Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça;

E calçados os pés na preparação do evangelho da paz;

Tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno.

Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus;

Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos,

Ora, essa é a arma que constantemente peço a Deus para combater as potestades, hostes e principados de um mundo mau, terrivelmente mau e caído.

Que nos próximos dias da minha existência posso revestir-me firmemente dessa armadura que é de Deus, não humana e nem eclesiástica…CINGIR, VESTIR, CALÇAR E TOMAR com a VERDADE, JUSTIÇA, SALVAÇÃO.

Que 2011 venha! sendo mau ou bom, a minha armadura está posta…Qual porém é a tua fortaleza?

A minha fortaleza é o SENHOR!

Mário Celso


O Perdão Divino Como Urgência Humana


Depois de uma dificuldade imensa de colocar o amigo numa maca, vencer uma multidão, subir de forma desumana com um esforço abismal uma casa judaica, abrir o telhado no ponto certo onde o Mestre estava, (Marcos 2) veio então a doce afirmativa do Mestre “Filho, Os teus pecados estão perdoados”.

O homem poderia voltar feliz para a sua casa, junto com os seus companheiros a despeito dessa Boa Notícia do Reino de Deus.
O Perdão dos pecados é a mais urgente atividade divina para toda a humanidade. O perdão de pecados é incomparavelmente melhor do que a cura física.
Porém como havia os “fiscais” da religião opressora, questionaram portanto o poder de Cristo em Perdoar pecados….E para a história ficar mais externalizada para os olhares religiosos, Jesus portanto cura o paralítico, asseverando assim a Sua Autoridade de Perdoar pecados.

Hoje a história se repete…Multidões sendo levadas pelas macas à procura de uma cura física…Mesmo que oferecendo-lhes a Graça perdoadora de Cristo, renega-O a segundo pavimento…Ora o PERDÃO é a mais urgente solução para o homem caído da Graça de Deus.

Mário Celso


%d blogueiros gostam disto: