ACESSO AO TRONO: UM PRIVILÉGIO SEM CULPA

“Tendo pois, irmãos, intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que Ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela sua carne, e tendo grande sacerdote sobre a casa de Deus, aproximemo-nos com sincero coração, em plena certeza de fé, rendo os corações purificados de má consciência, e lavado o corpo com água pura…” Hebreus 10.19-22.
Quando lemos a epístola aos Hebreus, percebemos a grande luta do autor a colocar na consciência de cada cristão, a insuficiência de cultos mosaicos relativos à expiação de Pecados. O capítulo 10 nos mostra a intensidade disso. Bem no começo ele já “rasga” a exacerbação dos cerimoniais, quando se diz apenas a sombra dos bens mais excelentes.
Toda aquela “carrada” de sacrifícios se tornaram obsoletos com a chegada da maior OFERTA de todos os tempos.
Os tais sacrifícios do velho pacto se tornavam como uma espécie de emulador de consciências culpadas diante de Deus. A cada fez que se matava touros e bodes a recordação de pecados estigmatizava a ação do ofertante. Ano após anos a culpa se avultava, de forma a torna-se deprimente. Mas porque a culpa não era tirada? “Porque é impossível que sangue de touros e bodes remova pecados”, e o “culto” somente alimentaria a mancha na consciência se todos esses artifícios operasse em cada ofertante.
Mas tudo aquilo era apenas sombras, não a imagem real das coisas dos bens vindouros. O sacrifício maior já foi realizado de uma vez por todas, sem necessidades de intermediários, sem aparatos e estereótipos da religião.
O Cordeiro ao entrar no mundo desfez a inimizade entre Deus e o homem, se tabernaculou como oferta e dizendo ao Pai: Eis aqui estou, para fazer a tua vontade, portanto Deus não se interessa mais por nenhuma produção humana de cultos, nenhuma oferta queimada,nenhum animal morto, nada de oblações. Portanto Cristo o Grande Sacerdote removeu o Primeiro( leis cerimoniais do AT) para estabelecer o Segundo (o Seu Sangue purificador).
Esse resultado dessa entrega do Cordeiro dinamizou a minha santificação pela oferta do seu corpo, e isso de uma vez por todas. Nada preciso (como processo de aperfeiçoamento regrado pela culpa da minha consciência) para me santificar, visto que é claro, está nítido no texto, a vontade remidora de Cristo me santificou.(vs 10,14).O seu Sacrifício me purificou! Aleluia.
Agora, o clímax dessa declaração divina, nos introduz ao mais perfeito dos acessos. A chegada ao Santo dos Santos. O lugar de mais impoluta presença. Tenha “intrepidez”. No grego parresian παρρησια significando- liberdade em falar, franqueza no falar, abertamente, sem segredo, sem ambiguidade, sem o uso de figuras e comparações. Outro significado dessa palavra seria: confiança aberta e destemida, coragem entusiástica, audácia e segurança.
Veja quão profundo esse texto nos evoca. Nos Santos dos Santos, lugar tão temido outrora, agora destemidamente podemos entrar. Através do Sangue do Cordeiro. Não preciso de nenhum “shofar”, nenhum artefato gospel, nenhuma mandinga vinda de Israel. Nada disso! O sangue-que-me-consagrou-novo-vivo-caminho, me leva à presença do Pai e podemos clamar Aba,Pai. Aproxima-te, com sincero coração. Lava-te da má Consciência e Guarda firme a Confissão da esperança. Só precisa disso.
Mário Celso, firme na esperança proposta, 27 de Setembro de 2009

Uma resposta para “ACESSO AO TRONO: UM PRIVILÉGIO SEM CULPA

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: