Arquivo do mês: outubro 2009

Reforma espiritual-Desconstrução da Fortaleza Religiosa



Hoje comemora-se o dia da reforma protestante. Há 492 anos atrás o monge alemão Martinho lutero, chutara contra a autoridade religiosa e imperiosa da igreja do século XVI.

As 95 teses pregadas na porta da igreja do castelo de Witenberg, era uma carta aberta contra toda onda de avareza, paganismo patrocinadas pelas indulgências da Igreja Romana. Hoje é um dia marcante para todo o mundo, visto que por meio dessa ação, desvinculara-se muitos do império tenebroso da ignorância.

Mas será que continuamos a reformar? Vivemos em um período que a des-construção, seria a melhor palavra para ser aplicada no mundo caótico que vivemos. Sim, pois o que se tem construído durante longos anos na igreja, principalmente em terras brasileiras, é uma construção bizarra de um evangelho humanizado.

Construções das mais diversas modalidades de “fé”. Construções das estadunidenses doutrinas em terras tupiniquins. Construções de ídolos-pregadores-poderosos. Construções de “levitas” no andor POP da multidão frenética gospelizada. Construções de catedrolatrias. Construções do reino de cobiça e avareza, mesmo com o tom espiritual.Enfim são muitas das construções.

A melhor batalha para militar é essa. Desfazer toda essa conjectura que ronda por aí a fora. Desconstruir todos os arrimos, palacetes e fortalezas de pan-demônios que socializaram no mundo evangélico. É ter a fé-atitude do rei Asa que “tirou da terra os prostitutos-cultuais e removeu todos os ídolos que seus pais fizeram”(I Rs 15.12), e ainda defendermos a verdadeira fé evangélica, aquela mesma da qual Paulo nos exorta a nos vestir da armadura espiritual. Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas;Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo” II Cor 10.4,5

Com Fé,

Mário Celso
Anúncios

Uma Moda Chamada "milagres"

A onda de modismos, movimentos, neo-movimentos carismáticos, loucuras “santas”, unções das mais variadas formas, tem de fato tomado de conta do cenário evangélico brasileiro. Muitas expressões made in usa outros portanto, fabricado em esquinas e fundos de igrejas que avassalam em todos os lugares. São as mais diversas formas e modelos de denominações que brincam de ministérios, e a Deus e a Sua Palavra não levam nada a sério.

Hoje, a igreja só terá sucesso se milagres, fogos, sinais e todas as superespiritualidades estiverem em voga…Alías o povo sempre gostará disso. Se milagres fossem a base para arrependimento sincero em muitos corações, Jesus não teria disso essa increpação, “Ai de ti, Corazim! ai de ti, Betsaida! porque, se em Tiro e em Sidom fossem feitos os prodígios que em vós se fizeram, há muito que se teriam arrependido, com saco e com cinza”.

O que vemos de fato e verdade é a busca desenfreada pelo sensacionalismo superficial de Deus, numa entrega barganhosa aos homens que detem esses artíficios para enredar o povo.

Eu prefiro acreditar na silenciosidade da operação divina, sem nenhum tipo de externalização de um milagre…O maior milagre que você pode receber é SALVAÇÃO operando eficazmente no coração do homem…

A igreja neotestamentária é o avesso da igreja moderna…Enquanto que a primeira é desenvolvimento do Reino de Deus para o coração do homem, num crescimento interno-vertical-horizontal nas suas multiformes operações advinda da Graça de Deus…A segunda portanto, é o crescimento do homem no reino humano de cobiça, superioridade, supremacias e autoridades originadas do coração que não cresceu na virtude, caridade e graça diante de Deus.

É uma pena, vermos um monte de gente sendo levados por essa onda animalesca da “fé”. Está-se criando um monstro cristão em um coração de muitas pessoas. É a nova geração tomada pelo surto de crescimento pagão-evangélico.

Os sinais e prodígios verdadeiros são oriundos de um coração novo nascido. Os sinais não aumentarão a minha fé, mas a minha fé uma vez confirmada produzirá sinais, sem que esses perfazem a minha comunhão com Deus.

Quando lemos que “… E eles, tendo partido, pregaram por todas as partes, cooperando com eles o Senhor, e confirmando a palavra com os sinais que se seguiram”, vemos então a cooperação do próprio Deus na confirmação da Sua Palavra. Uma vez que a base para todas as operosidades divinas tem a fundamentação da Palavra. Sinais sem Palavra é puro charlatanismo, e curanderismo…Palavra com Sinais, é a cooperação de Deus para com os homens.

Em outras ocasiões se Deus assim permitir estarei falando mais sobre assunto…

Com Temor e tremor,

Mário Celso

EX-COMUNGADO OU EXCOMUNGADO?

O ex-comungado quer se comungar

Mas como ele é excomungado não pode entrar.

O ex-comungado não pertence ao mundo dos “ex”

Portanto ele não tem vez!

O ex-comungado não tem mais voz, pois quando

comungado não se tornou aliado da macomungação,

e como não era macomungado, tornara-se então excomungado.

Agora estigmatizado como excomungado, quer comungar porém não há lugar,não há comunhão

no banquete dos vangloriosos, na ceia dos “eus”, na confraria religiosa, na impiedosa instituiçao.

E agora ex-comungado? Onde encontrarás comunhão? Em Cristo acharás, cuja a vida e ministério culminou em uma rude Cruz, sua Paixão.

Mário Celso, a todos que não comungaram e não se dobraram ante as potestades e principados da religião.


Sábia Finitude, Life is good!!!

“Ensina-nos a contar os nossos dias de tal maneira que alcancemos corações sábios”. Sl 90.12

As horas rapidamente passam, os dias tão velozes e às vezes furiosos (risos) liquidam-se no tempo, os anos se desvanecem numa sequencia vaporizante…

Ainda lembro o primeiro dia que fui à escola, em meio aos prantos com medo de perder minha mãe. Ainda sinto arder nos meus lombos, a surras das pequenas mãos de minha mãezinha, fruto das minhas muitas travesssuras…Tudo passou rapidamente, e como nas palavras do salmista “acabam-se os nossos anos como um suspiro“.

É tudo muito rápido,boas oportunidades apresentam-se hoje talvez nunca mais…Quando adultos refletimos quão bom foi a nossa infância…Apresentando-nos um intenso saudosismo de épocas que não voltarão.

O salmista era consciente da sua finitude a ponto de dizer que a sua vida era “como um sono”. Em nossa pequena existência, que coração estamos construindo? O salmista preocupa-se a alcançar coração sábio.

O sábio coração é a finitude certeza de vida diante da Infintude do Deus que é de Eternidade a Eternidade.É a inteira decisão de contar os dias de modo que saibamos vivenciar cada estação do que lhe é própria, sabendo que para tudo há um próposito definido. Não é um contar cronólogico(Kronos), mais um contar qualitativo (Kairós), de tempos oportunos. É o contar Kairós sabendo da existência de Kronos.

Vivencie cada Kairós da sua vida. Não contemple o teu Kronos no espelho. Deixa suceder a vida…Não queime etapas, e nem des-Kronolize.

Eu Kairós sou Krono…

Com Alegria

Mário Celso, no meu trigésimo primeiro aniversário.

Obs: Kairós e Kronos, são duas expressões do grego bíblico. A primeira denota tempo oportuno, qualitativo, a segunda remete tempo quantitativo, contado.


O Deus da Esperança e a Esperança em Deus


E o Deus da esperança vos encha de todo o gozo e paz no vosso crer, para que sejais ricos de esperança no poder do Espírito Santo” Rm 15.13



Qual a melhor definição de Esperança? No que esperar? Em quem esperar? São muitas as definições. No que tange ao pensamento bíblico, a esperança dela proposta se contrapôe as nossas fajutas expectativas. Quando ouvimos falar em esperança, geralmente associamos a ela uma promessa. No que você espera?

As respostas talvez sejam das mais variadas. O apóstolo Paulo aqui no contexto estabelecido, ele exorta aos romanos a um viver altruísta de simpatia e empatia com os debilitados e fracos irmãos na fé. Ele fala da edificação dos irmãos como tarefa nossa, na mesma disposição e exemplo de Cristo, que levou as nossas injúrias e ofensas.

Bem, mas o que tem isso a ver com a esperança? Tudo! pois a confirmação da nossa esperança, tem como base as Escrituras. Da Palavra sairá ensino, consolação. Por meio disso eu terei esperança. ” Pois tudo quanto, outrora, foi escrito para o nosso ensino foi escrito, a fim de que, pela paciência e pela consolação das Escrituras, tenhamos esperança“.

Procurando o termo esperança, no original “ελπις” (elpis) achei vários significados,dentre muitos, porém um me chamou atenção. “Prazerosamente com regozijo aguardar a eterna salvação bem como o seu Autor e fundamento” . Agora entendo o porquê de Paulo falar que somente teremos esperança, quando esta vem do próprio Deus.

É o Deus da esperança. Qualquer espera que não advenha dele, é apenas uma exacerbação de expectativa que logo será malograda. A esperança em Deus só será de fato esperança, quando a origem dela está no Deus da esperança.

Deus tem prazer em encher nossos corações de esperança, sempre acompanhada de “gozo e paz” no nosso crer. Se a esperança está fora de Deus, certamente produzirá medo, desconfiança, inquietação, e tristeza. Portanto isso não é esperança, mas sim PAVORança. (risos)

É nessa boa expectativa de Salvação que Paulo também diz “Porque, na esperança, fomos salvos. Ora, esperança que se vê não é esperança; pois o que alguém vê, como o espera? Mas, se esperamos o que não vemos, com paciência o aguardamos” Rm 8.24,25. Ora, a nossa salvação não depende de elementos estéticos, figurantes e externos…portanto a nossa esperança está em algo absolutamente verdadeiro, concreto e durável, porém não palpável, guiada apenas pela fé. Foi nessa fé-esperança que Abraão se apossou dela mesmo crendo contra a própria expectativa que lhe cercava.

O propósito disso é uma riqueza. Fala-se bastante no nosso meio do evangelho-riqueza, porém esquece da riqueza que evangelho produz para nós. “Para que sejais ricos de esperança”. Bem, essa tal abastança não é muito desejada, uma vez que queremos ser ricos de muitas coisas, menos de esperança no poder do Espírito Santo.


Resumindo, esperança, só se constituirá de fato, se somente se, ESTIVER FUNDAMENTADA EM DEUS. POR DEUS E PARA DEUS, NUMA CONSOLIDAÇÃO DE ALEGRIA, PAZ PRODUZINDO ENFIM PODER NO ESPÍRITO SANTO. Fora disso amigos, é apenas bizarrice de esperança.

Com Esperança,

Mário Celso

Desafios e Verdadeiros Milagres

Leia Atos 19
Paulo estava na sua terceira viagem missionária. Na cidade de Éfeso, ele tem uma porção de pessoas para cuidar, ensinar e pastorear. Até existiam por ali alguns discípulos que somente ouviram falar na rudimentar mensagem de João.

A graça de Deus na vida de Paulo, ornamentada com os dons espirituais, faz-se abundar na vida de todos que o rodeavam. O primeiro desafio, foi de caráter carismático. Havia portanto uma ignorância a respeito dos dons. Desafio vencido!
O segundo desafio portanto, era de origem teológica, pois Paulo infiltra-se em sinagoga judaica ali instalada, e “ousadamente falava por três meses, discutindo e persuadindo acerca do reino de Deus” . Desafio perdido (em parte) pois alguns de forma arbitrária endureceram o coração e falavam mal do Caminho (termo usado pelos opositores do evangelho pregado pelos cristãos primitivos), outros porém continuam a ouvir Paulo em Escola de Tirano(uma sala de aula alugada, onde os cristãos se reuniram para estudar a Palavra).
O objetivo ali era preparar homens para a obra de evangelização. Nasceram frutos poderosos. Epafras começa ali, conservo e discípulo de Paulo. Dessa escola surgiram a Carta aos Efésios e a de Colossenses. Portas fechadas na Sinagoga (lugar de culto religioso), porta aberta em escola(lugar secular) para proclamação do Evangelho para todos da Ásia.
O terceiro desafio, de natureza exorcista. Defronta-se com homens judeus, filhos de sumo-sacerdote, na vã tentativa de exorcizar alguns possessos. O interessante do fato é que Paulo está neutro nessa história toda. Os demônios reconhecem Paulo, desconhecem os homens e os subjugam numa total vergonha. Desafio vencido! O próprio mundo espiritual testifica do poder na vida de Paulo.
Essa luta espiritual resultou em conversões, e prevalecimento do Nome do Senhor, bem como crescimento da Sua Palavra.
Diante de tudo isso, Deus, pelas mãos de Paulo fazia milagres extraordinários. Milagres acontecem quando desafios são vencidos, o pragmatismo é quebrado, a religiosidade cessa, discernimentos espirituais emanam, fluidez do Espírito é manifestada, vidas se arrependem “confessando e denunciando publicamente as suas próprias obras” , o Evangelho é disseminado com ousadia e acima de tudo “a Palavra do Senhor que crescia e prevalecia poderosamente”, toma espaço no coração e na vida de muita gente naquele lugar.

No Evangelho “Milagres extraordinários” é isso. Qualquer show de milagres em escala industrial, fora do escopo da Mensagem do Evangelho, constitui-se em modismos e criatividades de cunho humano apenas para seduzir pessoas.
Este é o meu pensamento acerca de milagres.
Com Amor,
Mário Celso

Poucas forças, grandes lições

Saul arregimentou um exército com 3.000 homens dos melhores de Israel . Davi porém trazia consigo alguns poucos homens. Saul persegue freneticamente Davi. Havia contraste em todos os sentidos. Se por um lado Saul entra na caverna para aliviar o ventre, Davi no entanto está sentado no interior dela. É a busca frenética de Saul por uma pulga. A insanidade versus sensatez.O desequilíbrio psico-emocional contra a sobriedade. Um rei doentio, melancólico poderoso, guiado por um “espírito” contra a inerrante presença de Deus na vida de um simples guerreiro.

Nesse encontro podemos tirar grandes lições de uma fraqueza perante um “poder”. Um rei indomavelmente esquizofrênico cuja imprudência resultou na sua rejeição, se depara com lições fortes!

Davi nos ensina a sobreviver e viver mediante crises de todos os gêneros com algumas lições:

  1. Saber o tempo certo de agir. Prudentemente Davi não ouviu o conselho dos seus homens que mesmo dizendo Eis aqui o dia do qual o Senhor te disse: Eis que entrego o teu inimigo nas tuas mãos; far-lhe-ás como parecer bem aos teus olhos “. Para todo bom afoito e empolgado caráter, essa era a hora certa de agir impulsiva e erroneamente. Davi sabe esperar o momento certo, tinha tudo em suas mãos…A vantagem era dele, no entanto ele espera em Deus.
  2. Sensibilização e empatia. Davi sentiu doer o coração…Que lição profunda de comedimento…Davi sabia da fraqueza de Saul. Para Davi, Saul era uma casebre perante a fortaleza espiritual que lhe assistia. Davi entendia que ele ainda era um ungido, mesmo fora de Deus. Quando nos engradecemos perante a pequenez dos outros, mostramos insensibilidade e anti-patia.
  3. Humildade. Pela lógica, quem deveria se humilhar perante a astúcia de guerra de Davi? Claro que é Saul…Porém Davi reconhece que a verdadeira grandeza e sagacidade de alguém sempre se antecipará pela humildade. Ele fala com rogos a Saul “ó rei, meu senhor! ” Numa atitude carinhosa e reverente Davi mostra a humildade de vida tendo o mesmo princípio ensinado pelo apóstolo Paulo “nada façais por contenda ou por vanglória, mas com humildade cada um considere os outros superiores a si mesmo…
  4. Diálogo e conciliação. Davi no gesto meigo e nobre ensina a Saul a não dar ouvidos a caluniadores e difamadores, que são os piores inimigos no inter-relacionamento de individuos. Expulse da sua área de relacionamentos, todos os inimigos da verdadeira unidade e comunidade.
  5. Fidelidade e Pureza. Davi mostrara-se então firme na resolução de proceder de forma justa e piedosa. “Veja se em mim há alguma transgressão, note se tem alguma conduta desonrosa em relação a tua pessoa…” Essa foi a atitude de Davi sempre em relação a Saul. Seu inimigo em potencial desfez-se diante do caminho de pacificação de Davi. Lembro agora o que disse Pedro em sua carta Se pelo nome de Cristo sois vituperados, bem-aventurados sois, porque sobre vós repousa o Espírito da glória, o Espírito de Deus.Que nenhum de vós, entretanto, padeça como homicida, ou ladrão, ou malfeitor, ou como quem se entremete em negócios alheios; mas, se padece como cristão, não se envergonhe, antes glorifique a Deus neste nome“. Davi glorificou de fato o nome do SENHOR e emudeceu a violência doentia de Saul.

Poderíamos falar de muitas outras lições, mas ficarei por aqui…

Com Amor,

Mário Celso


%d blogueiros gostam disto: