O doce amor do Salvador

“Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador” João 15

Essa é uma das falas mais expressivas do Doce Salvador Jesus Cristo. Jesus utiliza a figura de linguagem mais doce do Novo Testamento. A videira. Israel, como povo escolhido por Deus, também foi chamada de videira pelo profeta Isaías. A sua missão porém se azedara com muitas injeções e enxertos de toda sorte de males espirituais. Por isso Jesus declara “Eu SOU a Videira Verdadeira”.

O Israel-Videira não completou de forma amorosa a proclamação de Boas Novas as Nações. Deflagrou-se a sua atividade de arauto do Rei. Jesus, não só declarou as Boas Novas como se tornou amorosamente O Fruto das Prímicias do SENHOR. O fruto da Vide é realmente o mais saboreado e cultuado pelo povo judeu durante longos séculos.

A simbolização de Jesus à videira, pinta o quadro do Amor dele em relação à Sua obra e seu ministério. E também do Seu Amor a todos que O seguem. Todas as suas expressões, gestos, atitutes, tinha e tem a marca do gostoso sabor da vide e da Vida. Essa relação vital-prazerosa dar-se-á no conhecer e receber dele esse amor!

Quem conhece o doce amor do SENHOR de fato, não haverá espaço no coração para o azedume do pecado que destrói toda a doçura do viver.

E nesse contexto,( até porque o capítulo 15 de João se intermedia entre a promessa das mansões celestiais e a presença do Consolador) é todo uma fala de Cristo ao seus díscipulos. É o balanceamento entre a promessa-consoladora e o amor-vigente que todos os seguidores teriam.

Nessa relação aparece o Pai-lavrador e os ramos-díscipulos. Os ramos devem produzir frutos, desde que ligados à Videira. A produção dos frutos redundam em glorificação ao Pai. Nessa produção há toda a Vontade da Videira de limpar ou podar para uma maior produção…Se não há produção de frutos será lançado fora, até porque de si-mesmo sem a ligação correta à Fonte, nunca existirá a frutificação.

Mas quando falamos em produção de frutos, pensamos erroneamente que é evangelização, oração, jejum e coisa dessa natureza…Mas a produção de Frutos do qual fala o mestre é:
Nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos.
Como o Pai me amou, também eu vos amei a vós; permanecei no meu amor
. Permanência no Amor e no mandamento…E quando pensamos em mandamento, geralmente associamos a “mandar”. Ninguém gosta de ser mandado, a maioria prefere mandar…Então associamos isso com regras, dogmas, doutrinas-humanas, leis, etc…

Mas mandamento aqui não é nada disso, o mandamento de Cristo é Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei.


Amar uns aos outros, esse é o mandamento. Os que amam é porque se deliciam na doce videira. O coração que ama, é o coração que se enche do sumo da Vide, que se encharca nela…

Receba toda a doçura do Amor do Mestre, para podeis amar uns aos outros.

Com Amor

Mário Celso


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: