Esconderijo de(a) Graça!

“Guarda-me como à menina do olho; esconde-me debaixo da sombra das tuas asas…” Sl 17.5






É no recôndito da comunhão com Deus, que encontramos refúgio e proteção. Quando levantes de mortes, perseguição, opressão levantara-se contra o salmista, seu coração buscava refúgio…Há momentos duros do viver, que a nossa sede espiritual está vinculada ao esconderijo divino. Esconderijo sempre será o lugar de reencontro com Deus, de renovação de forças e prosseguimento na jornada.




É no esconder em Deus, que temos a paz no nosso crer. Por essa razão, Paulo afirma “ Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra;Porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus.” (Col. 3.2,3). A minha vida escondida em Deus com Cristo, resultará na aquietação da alma, donde encontrará refúgio em tempos de crises.




Em vicissitudes do viver ao marcar a nossa trajetória, delineamos como “descobertos” dessa Graça-esconderijo. Parece que em momentos tão rudes, a nossa casa espiritual parece está descoberta. Queremos um lugar-refúgio para abrigar os nossos medos e fobias. Uma coisa temos que aprender com Davi, e ele tinha isso em mente ao dizer ” Porque no dia da adversidade me esconderá no seu pavilhão; no oculto do seu tabernáculo me esconderá; por-me-ás sobre uma rocha.” (Sl.27.5), nessa seguradora graça-esconderijo encontramos ROCHA. Lugar de firmeza, solidez e estabilidade.




As nossas adversidades só serão despedaçadas ao ser colidida com a ROCHA dos séculos. A principal Pedra de Esquina, Aquela que os edificadores rejeitaram…Essa estabilidade estará no tabernáculo da misericórdia divina, no esconderijo do seu pavilhão.




A outra afirmação de confiança e bem-aventurança de refúgio no secreto de Deus, é a confissão do coração ao mencionar “Tu os esconderás, no secreto da tua presença, das intrigas dos homens; na tua habitação ocultá-lo-ás das línguas acusadoras”(Sl 31.20)




O lugar de esconderijo, não é um lugar de covardia espiritual, não é uma atitude de um hermitão de alma, do qual se insurge de tudo e de todos num doente egoísmo existencial. Mas sim de equilíbrio e sobriedade, sabendo que em Deus está posto a sua confiança pelo qual declara ” Tu és o lugar em que me escondo; tu me preservas da angústia; tu me cinges de alegres cantos de livramento” (Sl 32.7).


Conhecendo este Deus acolhedor, protetor, e de doce refúgio, podemos fazer asseverações de alegria e fé sem nenhum fetiche salmonoventaumdólatra, mas na inteira certeza de um coração que se esconde em Deus. Pois desse coração brotará as mesmas palavras do salmista no Salmo 91- “Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará…”



Descanse no Amor de Deus.



Mário Celso, sob a sombra do Altíssimo


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: