A "Visão" Na Visão De Paulo


O que mais percebo e ouço com muito eco no meio evangélico durante muitos anos, é a concepção determinante do que seja visão divina de base bíblica para a vida cristã. É comum ouvirmos frases “Igreja tal…Uma igreja de visão…“, ou “pastor fulano de tal tem muita visão…“Ou ainda ” aquele irmão tem visões de Deus…” Existem portanto duas interpretações: Primeiro, no que tange ao plano futuro de aspecto mediato, a visão transcorre-se do fato de alguém produzir meios que veicule idéias imediatas para alcançar fins e propósitos pré-estabelecidos.Segundo, também ao que se refere a revelações e momentos extáticos de caráter sobrenatural, não se utilizando da média humana, e sim divina para determinado objetivo. Existem entretanto muitas outras idéias e comportamentos em torno do que seja VISÃO.

Não quero julgar nenhum desses comportamentos como que sejam errôneos, apenas quero lançar algumas luzes de acordo com a visão paulina no que se refere a uma visão. Por que o apóstolo das fraquezas era considerado como um homem de visão?
Primeiro, Porque a maior visão de Paulo era a visão em/de Cristo que o impulsionou a levar o evangelho…”Ao meio-dia, ó rei, vi no caminho uma luz do céu, que excedia o esplendor do sol, cuja claridade me envolveu a mim e aos que iam comigo. E, caindo nós todos por terra, ouvi uma voz que me falava, e em língua hebraica dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues? Dura coisa te é recalcitrar contra os aguilhões. E disse eu: Quem és, Senhor? E ele respondeu: Eu sou Jesus, a quem tu persegues; Mas levanta-te e põe-te sobre teus pés, porque te apareci por isto, para te pôr por ministro e testemunha tanto das coisas que tens visto como daquelas pelas quais te aparecerei ainda…At 26.13-15

Segundo, porque visão para Paulo se constituía em algo de evangelismo transcultural além das barreiras judaicas…” E Paulo teve de noite uma visão, em que se apresentou um homem da Macedónia, e lhe rogou, dizendo: Passa à Macedônia, e ajuda-nos.” At 16.9

Terceiro, porque para ele, visão também é está em atividade evangelísticamente Cristocêntrica no qual o compelia a testemunhar da graça salvadora de Cristo…”E disse o Senhor em visão a Paulo: Não temas, mas fala, e não te cales; Porque eu sou contigo, e ninguém lançará mão de ti para te fazer mal, pois tenho muito povo nesta cidade. At 18.9

Quarto, visão também está no fato de que para Paulo comprometer-se ao evangelho de Cristo, requereria do próprio Deus que o comissionou a adverti-lo e dirigi-lo no percurso de sua caminhada, dando-lhe orientações necessárias para o desenvolvimento do reino de Deus, sem nada do aspecto visionário humano…” E aconteceu que, tornando eu para Jerusalém, quando orava no templo, fui arrebatado para fora de mim. E vi aquele que me dizia: Dá-te pressa e sai apressadamente de Jerusalém; porque não receberão o teu testemunho acerca de mim…” At 22.18

Quinto, Toda disposição e ânimo necessário para realizar o chamado de Deus na vida de Paulo, proveio de(a) visão da obra inserida em seu coração para proclamar as virtudes do Reino…E na noite seguinte, apresentando-se-lhe o Senhor, disse: Paulo, tem ânimo; porque, como de mim testificaste em Jerusalém, assim importa que testifiques também em Roma…” At 23.11
Sexto, Porque ainda para Paulo, visões e revelações eram de fato marca para o seu apostolado, não evidenciando em nenhum momento a glorificação do seu próprio ego, mas sim transmitia a todos que quanto maior é a hipérbole e excelência das revelações (apokalipses) no seu ministério, maior também seria o quanto é padecer pelo nome de Cristo… Em verdade que não convém gloriar-me; mas passarei às visões e revelações do Senhor. Conheço um homem em Cristo que há catorze anos (se no corpo, não sei, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe) foi arrebatado ao terceiro céu. E sei que o tal homem (se no corpo, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe) Foi arrebatado ao paraíso; e ouviu palavras inefáveis, que ao homem não é lícito falar De alguém assim me gloriarei eu, mas de mim mesmo não me gloriarei, senão nas minhas fraquezas…” II Cor 12.1-5

E para finalizar, Paulo se mostrara obediente a essas visões que de fato foi a explicação do sucesso na sua carreira cristã…Porque essas visões o levou a visar a glória de Cristo em detrimento do esterco e fajuto progresso humano…Por isso, ó rei Agripa, não fui desobediente à visão celestial…At 26.19

Com Amor,


Mário Celso, Na mesma visão do Reino.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: