Arquivo do mês: maio 2010

Terríveis Dias De Esperança

Por Mário Celso

Certamente vêm os dias”, diz o SENHOR, “em que mudarei a sorte do meu povo, Israel e
Judá, e os farei retornar à terra que dei aos seus antepassados, e eles a possuirão”, declara o SENHOR…Como será terrível aquele dia! Sem comparação! Será tempo de angústia para Jacó;
mas ele será salvo. (Jeremias 30.3,7)


O profeta da Calamidade se torna o profeta da Esperança. Essa é a paradoxal mensagem de Jeremias. A restauração de Israel se dará pela manifestação de Juízo, Justiça e Misericórdia divina. Esse misto de Graça e Espada se encontra na seção, conhecida como o “Livro da Consolação” (30.1-33.26).
Essa esperança cresce num ambiente de caos, destruição e ruína, ao ponto de descrever em um tom poético e ao mesmo tempo nebuloso…“Pode um homem dar a luz?”Por que vejo, então, todos os homens com as mãos no estômago, como uma mulher em trabalho de parto? Por que estão pálidos todos os rostos? . Os gritos de pânicos se harmonizavam com os ecos de guerra e pavor.
As palavras de ânimo, vigor e esperança traria um sentido novo à vida de Judá. Nos turbilhões de gritos, pavores, correntes, jugos, ferimentos, juízos e espadas a Graça remidora de Deus transborda em cada palavra do profeta. “mudarei a sorte do meu povo”, “quebrarei o jugo do seu pescoço”, “arrebentarei as suas correntes”, “farei retornar à terra e a possuirão”, “servirão ao SENHOR, ao seu Deus”, “por isso não temas”, “Não fique assustado”, “eu o salvarei”, “Jacó voltará e ficará em paz e em segurança, ninguém o inquietará”, “açoes de graças e regozijo se ouvirá”, “seus filhos e a sua comunidade serão firmados diante de mim”, “de novo plantarás vinhas e as colherão”, “o meu povo será saciado pela minha bondade”…
Vemos a expressão magna da graça e do perdão do Deus que é rico em amor. Mesmo que a consciência coletiva de pecados e iniquidades avolumava-se, mesmo sabendo que “o ferimento é grave”, e “não há quem defenda a sua causa e nem há remédio( mediação humana) para a cicatrização de suas feridas”, ainda que ” grande é a sua iniquidade e numerosos são os seus pecados”, com a presença constrangedora de devoradores, de esquecidos amantes e o golpe infalível de seus adversários…O tempo de angústia de Jacó estava dando abertura para a ESPERANÇA DE ISRAEL…
Só se conhece a graça,o perdão e o favor quando a espada se arraiga em nossas almas…Quando a espada de frustações, de pecados, de culpa penetra até à medula de nossas estruturas espirituais, é aí que se valerá e conhecerá de fato o Deus de amor. “Assim diz o SENHOR: “O povo que escapou da morte achou favor no deserto”.Quando Israel buscava descanso, o SENHOR lhe apareceu no passado,dizendo: “Eu a amei com amor eterno;com amor leal a atrai. “

A volta de Israel à sua terra, é a marca da plenitude salvadora de Deus, que pune, disciplina, corrige, porém recebe dele a palavra “mas a ti não destruirei completamente” (v.11). Conquanto que com tristeza cativos foram à uma terra distante, a Esperança dá a luz a alegria e regozijo.
Vejam, eu os trarei da terra do norte e os reunirei dos confins da terra. Entre eles estarão o cego e o aleijado, mulheres grávidas e em trabalho de parto; uma grande multidão voltará. Voltarão com choro, mas eu os conduzirei em meio a consolações. Eu os conduzirei às correntes de água por um caminho plano, onde não tropeçarão, porque sou pai para Israel e Efraim é o meu filho mais velho. ” (Jer. 31.8,9)

Tudo isso porque a boca profética de anúncio de caos e guerras, é a mesma que proclama a Esperança aos corações…A Esperança renasce nesse caldo de conflitos…Portanto para todos os povos cujo Deus é o SENHOR, mesmo que o caos esteja estabelecido, ainda assim ouvirás “Por isso há esperança para o seu futuro”, declara o SENHOR.” (Jer. 31.17)

Em Esperança,

Mário Celso

16 Anos Caminhando Com Cristo

No dia 22 de Maio de 1994, fui surpreendido pelo doce convite de Cristo
Em meio aos dilemas na minha adolescente mente
o chamado à Graça foi irresistível.
O seu amor alcançou-me…
Nenhum mérito existia em minha vida
Pra receber a tão grande Salvação
A um pecador…

Ó Cristo, Como Tu és Bom
Que a minha vida seja a Tua plena Vida em mim!
Não tenho palavras pra expressar o teu sublime amor.



Com gratidão no Coração,
Mário Celso


Profeta Hananias, O Embaixa-DOR da Paz

Mas o profeta que profetiza prosperidade será reconhecido como verdadeiro
enviado do SENHOR se aquilo que profetizou se realizar”. Jeremias 28.9
Hananias, o profeta de Gibeom se porta como um atalaia dos oráculos divinos para a nação de Israel. Fazia parte do partido Nacionalista, um daqueles que foram uma provação para Jeremias. Era o começo do reinado de Zedequias e estavam no Templo, os sacerdotes e todo o povo. Jeremias portava de canzis simbólicos de madeira postos no seu pescoço, ditados pelo próprio Deus. Era a expressão de que todo o povo, bem como todas as terras e bens seriam entregues ao poder de Nabucodonosor.
Hananias não tolerava tal atitude profética de Jeremias, cuja mensagem era de fato um “peso” para ser concebido como verdade, posto que a tal profecia de Jeremias seria o contraste da shalom hebraica, cujo conceito é de paz, bem-estar e prosperidade.
A mensagem de Jeremias era tão contraditória às expectativas judaicas que Hananias se pôem como o porta-voz da paz e prosperidade, numa mensagem agradabilíssima aos ouvidos de todos de Judá. Como todo profeta ludibriador, ele insere a sua voz como voz divina…”Assim fala o SENHOR dos Exércitos, o Deus de Israel, dizendo: Quebrarei o jugo do rei da Babilônia”, começando então as previsões de que dentro de 2 anos estaria de volta àquele lugar:
a) Todos os utensílios do Templo;
b) Jeconias e a todos os exilados de Judá.
No ponto de vista patriótico dos judeus, essa seria uma excelente profecia. Nas palavras de Jeremias, que a maioria a interpreta como sarcástica, ele diz “Amém! assim faça o SENHOR; confirme o SENHOR as tuas palavras, com que profetizaste, e torne ele a trazer de Babilônia a este lugar os utensílios da casa do SENHOR e todos os exilados.” Porém, eu não a considero assim, posto que o amor de Jeremias por Jerusalém era evidente. Em outras palavras Jeremias estaria dizendo “Oxalá a situação fosse assim. Este é o desejo de todos nós.”
Porém a verdadeira profecia não deveria ser levada pelo sensacionalismo dos fatos externos e tão patentes. Existe o “entretanto” da coisa. A convicção de Jeremias não poderia ser mudada pelo tom emocional ainda que “profético” de Hananias.
Jeremias então declara: “Entretanto, ouça o que tenho a dizer a você e a todo o povo:
Os profetas que precederam a você e a mim, desde os tempos antigos, profetizaram guerra, desgraça e peste contra muitas nações e grandes reinos. Mas o profeta que profetiza prosperidade será reconhecido como verdadeiro enviado do SENHOR se aquilo que profetizou se realizar”.

Fica estabelecido então por Jeremias, o método de verificação e veracidade da mensagem profética. Se o que se fala se cumpre, declarado seria como verdadeiro. A palavra de Deus é o crivo para toda profecia. Se o comportamento do povo era de fato reprovável por Deus, logicamente aquela mensagem de paz, prosperidade nacional seria de fato uma anedota circunstancial. O povo como tinha conhecimento pelas escrituras de que se a nação não andasse em conformidade com os princípios divinos, obviamente ela teria que passar pelo jugo de ferro dos seus opressores (Dt 28.48).
Hananias utiliza então de mais uma fajuta representação de libertação. Toma os canzis de madeira do pescoço de Jeremias e os quebra na presença de todo o povo. E com voz enganadora esbraveja contra a veracidade da Palavra. “Assim diz o SENHOR: ‘É deste modo que quebrarei o jugo de Nabucodonosor, rei da Babilônia, e o tirarei do pescoço de todas as nações no prazo de dois anos’ ”

A ambiência era propícia para tal coisa, tudo se encaixava até mesmo uma representação de símbolos dignos de um profeta…Porém, a tônica é, O SENHOR NÃO O ENVIOU. Não adianta, pode-se ter todo um aparato, riquezas de detalhes, eloquências do falar, carismas de multidões, aplausos de seus fãs…Mas se o SENHOR não o tiver enviado a mensagem ainda que retórica e plausível será VÃ.
Se por contar símbolos, Deus então reitera a sua mensagem e diz através de Jeremias “Você quebrou um jugo de madeira, mas em seu lugar você fará um jugo de ferro. Assim diz o SENHOR dos Exércitos, o Deus de Israel: Porei um jugo sobre o pescoço de todas essas nações, para fazê-las sujeitas a Nabucodonosor, rei da Babilônia, e elas se sujeitarão a ele. Até mesmo os animais selvagens estarão sujeitos a ele”.

Para finalizar, Hananias morre no mesmo ano… “Por isso, assim diz SENHOR:Vou tirá-lo da face da terra. Este ano você morrerá, porque pregou rebelião contra o SENHOR’ ”. Uma coisa nos chama a atenção, é que o verbo ‘tirar’ traduzida pela versão brasileira da NVI e ‘lançar’ da Revista e Atualizada, é a expressão hebraica “shalach”, a mesma de “enviar”. Deus não o shalach(enviou) para a tal mensagem, porém o shalach (enviou) para sobre a face da terra.
Em Cristo,
Mário Celso

Pastores Exterminadores do Rebanho

Mário Celso
A promessa do Pastor divino para conduzir o povo de Israel está carregada de “ais” e sentenças duras e fortes contra pastores infiéis. O duro discurso de Jeremias, o profeta, aos líderes de Israel nos pinta um quadro de desordem e caos na condução espiritual do povo. Quando a sentença do profeta alarda…”Ai dos pastores que destroem e dispersam as ovelhas do meu pasto!” nos vem a mente cenas de escrupulosos que expôem indefesas ovelhas perante a crueldade dos vorazes lobos…Sendo o próprio lobo-pastor o exterminador de ovelhas errantes.

O cuidado pastoral na Bíblia tem um destaque marcante, visto que sempre existirão ovelhas feridas, machucadas, quebradas à espera de um pastor-amor restaurando-lhes e sarando as suas mazelas…A simbologia bíblica do Antigo Testamento de ovelha e pastor é tão vívida no plano-histórico que ganhou guarida e instrução até mesmo no Novo Testamento. Não se deve fugir disso.
Ao lermos Jeremias 23 nos é imprimido que em cada ato divino no tocante a guiar o povo de Israel, Deus deixou o seu rebanho para o cuidado pastoral de sacerdotes, reis e profetas. Acontece que tais pastores fizeram o modo contrário da coisa. Em vez de edificarem eles destruíram. No lugar da unidade-comunidade eles dispersaram. Ao invés do cuidado e proteção eles afungentaram, expulsaram e feriram.
A leitura de Jeremias nos coloca no contexto sócio-hierárquico-ministerial de nossa nação Brasil. Pastores que usam e abusam desse título afim de destruir muitas vidas. Vejo muita gente afirmar “naquele lugar mesmo tendo pastores corruptos existem pessoas que se ‘salvam’…Acreditava nisso até o dia que me deparei com a afirmação sólida de Cristo Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que percorreis o mar e a terra para fazer um prosélito; e, depois de o terdes feito, o fazeis filho do inferno duas vezes mais do que vós. Mateus 23.15

O pastor-exterminador ele se utiliza da sórdida ganância, do proselitismo barato e atraente e produz filhos do inferno. A negligência para o cuidado das ovelhas é uma outra característica dos exterminadores. Os pastores de hoje, que mais se parecem com um popstar , jamais terão o cuidado e proteção à vidas…Os exterminadores de rebanho estão tão inserido no meio evangélico que a coisa vai ganhando força e peso. Cito agora alguns exemplos e características desse pastores como desembocadores de extermínio de fé no coração:
Pastor-intinerante. Não pastoreia, só passeia;
Pastor-artista. Não tem edificação para o povo, mas tem muitas peças teatrais para apresentar no púlpito;
Pastor-dirigente de culto. Engana-se achar que quem sabe dirigir bem um culto, sabe conduzir bem um rebanho. Dirigir culto é uma coisa, pastorear é outro.
Pastor-Administrador de Empresa. Depois que o evangelho se tornou capitalista e altamente lucrativo, é bem melhor administrar os recursos materiais do povo a pastorear as suas almas;
Pastor-Levita. Com essa onda toda de comunidades cantantes, os “levitas” utilizam toda estratégia musical para atrair pessoas (nada contra os que utilizam a boa música como instrumento para evangelização) e se doam em ‘ministério’ de louvor, colocando o “louvor” o meio principal de suas mensagens de entretenimento…
Pastor-Construtor. Aquele que foi designado para construir templos e catedrais. Sabe tudo de construção e quase nada de edificação de vidas pela Palavra;
Pastor-Marionete. Está sempre regido pelo sistema hierárquico, conhece muito bem a cartilha-bíblia da sua denominação e nada de Palavra!;
Pastor-nota de rodapé. Conhece a Bíblia apenas pelas notas teológicas de suas bíblias-livro, sempre condicionado à nota homilética do texto, ou ao pensamento da instituição reinante…
Pastor-CTRL-C. Adora copiar sermões na web e CTRL-V nos púlpitos…
Bem, a lista seria muito enorme, mas vou parar por aqui.
Termino dizendo, pastores que destroem, dispersam e afugentam muitas vidas, está nítido, é real e ao mesmo tempo assustador!
O meu povo tem sido ovelhas perdidas; seus pastores as fizeram errar e as deixaram desviar para os montes; do monte passaram ao outeiro, esqueceram-se do seu redil.” Jeremias 50.6
Que o Senhor Jesus, o bom pastor, nos guarde de todo o mal

%d blogueiros gostam disto: