Profeta Hananias, O Embaixa-DOR da Paz

Mas o profeta que profetiza prosperidade será reconhecido como verdadeiro
enviado do SENHOR se aquilo que profetizou se realizar”. Jeremias 28.9
Hananias, o profeta de Gibeom se porta como um atalaia dos oráculos divinos para a nação de Israel. Fazia parte do partido Nacionalista, um daqueles que foram uma provação para Jeremias. Era o começo do reinado de Zedequias e estavam no Templo, os sacerdotes e todo o povo. Jeremias portava de canzis simbólicos de madeira postos no seu pescoço, ditados pelo próprio Deus. Era a expressão de que todo o povo, bem como todas as terras e bens seriam entregues ao poder de Nabucodonosor.
Hananias não tolerava tal atitude profética de Jeremias, cuja mensagem era de fato um “peso” para ser concebido como verdade, posto que a tal profecia de Jeremias seria o contraste da shalom hebraica, cujo conceito é de paz, bem-estar e prosperidade.
A mensagem de Jeremias era tão contraditória às expectativas judaicas que Hananias se pôem como o porta-voz da paz e prosperidade, numa mensagem agradabilíssima aos ouvidos de todos de Judá. Como todo profeta ludibriador, ele insere a sua voz como voz divina…”Assim fala o SENHOR dos Exércitos, o Deus de Israel, dizendo: Quebrarei o jugo do rei da Babilônia”, começando então as previsões de que dentro de 2 anos estaria de volta àquele lugar:
a) Todos os utensílios do Templo;
b) Jeconias e a todos os exilados de Judá.
No ponto de vista patriótico dos judeus, essa seria uma excelente profecia. Nas palavras de Jeremias, que a maioria a interpreta como sarcástica, ele diz “Amém! assim faça o SENHOR; confirme o SENHOR as tuas palavras, com que profetizaste, e torne ele a trazer de Babilônia a este lugar os utensílios da casa do SENHOR e todos os exilados.” Porém, eu não a considero assim, posto que o amor de Jeremias por Jerusalém era evidente. Em outras palavras Jeremias estaria dizendo “Oxalá a situação fosse assim. Este é o desejo de todos nós.”
Porém a verdadeira profecia não deveria ser levada pelo sensacionalismo dos fatos externos e tão patentes. Existe o “entretanto” da coisa. A convicção de Jeremias não poderia ser mudada pelo tom emocional ainda que “profético” de Hananias.
Jeremias então declara: “Entretanto, ouça o que tenho a dizer a você e a todo o povo:
Os profetas que precederam a você e a mim, desde os tempos antigos, profetizaram guerra, desgraça e peste contra muitas nações e grandes reinos. Mas o profeta que profetiza prosperidade será reconhecido como verdadeiro enviado do SENHOR se aquilo que profetizou se realizar”.

Fica estabelecido então por Jeremias, o método de verificação e veracidade da mensagem profética. Se o que se fala se cumpre, declarado seria como verdadeiro. A palavra de Deus é o crivo para toda profecia. Se o comportamento do povo era de fato reprovável por Deus, logicamente aquela mensagem de paz, prosperidade nacional seria de fato uma anedota circunstancial. O povo como tinha conhecimento pelas escrituras de que se a nação não andasse em conformidade com os princípios divinos, obviamente ela teria que passar pelo jugo de ferro dos seus opressores (Dt 28.48).
Hananias utiliza então de mais uma fajuta representação de libertação. Toma os canzis de madeira do pescoço de Jeremias e os quebra na presença de todo o povo. E com voz enganadora esbraveja contra a veracidade da Palavra. “Assim diz o SENHOR: ‘É deste modo que quebrarei o jugo de Nabucodonosor, rei da Babilônia, e o tirarei do pescoço de todas as nações no prazo de dois anos’ ”

A ambiência era propícia para tal coisa, tudo se encaixava até mesmo uma representação de símbolos dignos de um profeta…Porém, a tônica é, O SENHOR NÃO O ENVIOU. Não adianta, pode-se ter todo um aparato, riquezas de detalhes, eloquências do falar, carismas de multidões, aplausos de seus fãs…Mas se o SENHOR não o tiver enviado a mensagem ainda que retórica e plausível será VÃ.
Se por contar símbolos, Deus então reitera a sua mensagem e diz através de Jeremias “Você quebrou um jugo de madeira, mas em seu lugar você fará um jugo de ferro. Assim diz o SENHOR dos Exércitos, o Deus de Israel: Porei um jugo sobre o pescoço de todas essas nações, para fazê-las sujeitas a Nabucodonosor, rei da Babilônia, e elas se sujeitarão a ele. Até mesmo os animais selvagens estarão sujeitos a ele”.

Para finalizar, Hananias morre no mesmo ano… “Por isso, assim diz SENHOR:Vou tirá-lo da face da terra. Este ano você morrerá, porque pregou rebelião contra o SENHOR’ ”. Uma coisa nos chama a atenção, é que o verbo ‘tirar’ traduzida pela versão brasileira da NVI e ‘lançar’ da Revista e Atualizada, é a expressão hebraica “shalach”, a mesma de “enviar”. Deus não o shalach(enviou) para a tal mensagem, porém o shalach (enviou) para sobre a face da terra.
Em Cristo,
Mário Celso

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: