Arquivo do mês: junho 2010

Um "Piercing" No Coração.A Mensagem De Pedro

Por Mário Celso

O ambiente do Pentecostes tomava conta do lugar e das pessoas. A descida veemente do Espírito sobre os discípulos de Cristo foi a marca do genuíno mover de Deus naquelas vidas. A distribuição e a concessão do Espírito era a característica daquele evento glorioso.

Logo o “fogo” do Evangelho se espalhava nos corações abraseados. A multidão ali reunida de várias nações, ouve em sua própria língua “as grandezas de Deus”. Perplexidades e questionamentos tomavam conta dos ouvintes.
Algo diferente naquele lugar. Pentecostes naquele dia não ficou somente atribuída a uma festa de ritos e reuniões de judeus e prosélitos do judaísmo. Pentecostes é “falar das Grandezas de Deus” na língua do Espírito Santo, de forma inteligível, onde todos possam entender o plano de Deus para a humanidade e também a mensagem triunfante da Ressureição de Jesus Cristo.
E disso Pedro toma como a sua mensagem principal naquele dia. A promessa de Joel se concretizara. Jesus, o homem aprovado por Deus com sinais e prodígios e entregue aos homens para ser morto, pelo determinado desígnio e presciência de Deus, ressuscita e rompe os grilhões da morte…Portanto não podia morte retê-lo!
Pedro finaliza a mensagem afirmando que tal acontecimento só foi possível, devido o sofrimento do Messias rejeitado, crucificado, porém aprovado por Deus ressuscitando-o dentre os mortos.
E Pedro veemente diz “Esteja absolutamente certa, pois TODA a casa de Israel de que a este Jesus, que vós crucificastes, Deus o fez SENHOR e CRISTO”. A tônica cristocêntrica de um coração fortalecido pelo Espírito não podia faltar no coração de Pedro.
Que tipo de mensagem ouvimos hoje? Uma mensagem cristocêntrica ou excêntrica? Uma mensagem sentimental recheada dos exageros ” pentecostais” ou uma Mensagem sobre o Poder do Evangelho de Cristo?
O verdadeiro mover do Pentecostes se faz necessário pela objetividade da mensagem do Cristo Ressureto e não pela subjetividade de elementos estranhos à Palavra, donde aparece apenas a caricatura do Espírito e não a sua real presença.
A mensagem de Pedro traz compunção, pungimento e contrição nos corações de todos. A Palavra nos diz que “ouvindo eles estas coisas, compungiu-se-lhes o coração e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, irmãos?” (At 2.37). A palavra “compungir” no original( κατανυσσω, que só aparece uma vez aqui em todo o Novo Testamento) nos traz a idéia de picada ou furo de forma a atormentar a mente agitando-a violentamente. É o furo no coração de quem ouve a mensagem de Deus, trazendo-lhes contrição, aflição e portanto arrependimento sincero nos corações.
A mensagem por acaso que ouvimos hoje, causa tal impacto nos corações modernos? Está perfurando, como num piercing, de fato as idéias e convicções do homem, ou apenas consentido-o e acalentando o seu erro?
A resposta de Pedro para os tais e para todos é “ Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo; Porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos, e a todos os que estão longe, a tantos quantos Deus nosso Senhor chamar. E com muitas outras palavras isto testificava, e os exortava, dizendo: Salvai-vos desta geração perversa.” (At. 2. 38-40)
Esse é o piercing que Pedro usava em suas mensagens.
Anúncios

SERMÃO: JESUS E A MULTIDÃO


TEXTO: JOÃO 12. 9-50

A MULTIDÃO QUE CLAMA É A MESMA QUE RECLAMA
Introdução
A relação de Jesus com a multidão sempre foi como plena manifestação do Amor de Deus aos homens, sendo que a multidão as vezes não correspondia a esse tão grande amor.
Conteúdo
  1. A multidão e a sua curiosidade- Impedem de ver o Cristo. (vs 9)
  2. A multidão que honra a Cristo e clama “hosana”. (vs 12-13)
  3. A multidão que testemunha a verdade. (vs 17)
  4. A multidão como buscadores de sinais miraculosos. (vs 18)
  5. Jesus e a sua missão à multidão sedenta. (vs 23-28)
  6. A voz de Deus para a multidão- A glorificação de Jesus é a causa satisfatória para a salvação da multidão. (vs 29)
  7. A multidão e a sua ignorância, rejeição e rebeldia ao Filho do Homem. (vs 34)
  8. A multidão e a sua incredulidade ao Cristo. (vs 37-40)
  9. Jesus e a Palavra final à multidão. (vs 40-50)

Conclusão

Somente com a inteira consciência de que somos também semelhante em muitos apectos a essa “multidão”, é que poderemos vislumbrar a Luz Verdadeira do Cristo Poderoso. Por isso…” Enquanto tendes luz, crede na luz, para que sejais filhos da luz...”
Em Cristo,
Mário Celso

REAVIVAMENTO PLENO. ISAÍAS 35


O reavivamento proposto pela Palavra de Deus é a plenitude da graça de Deus entre nós. É a uniformidade dos desígnios divinos no caminhar humano. Ao lermos Isaías 35 percebemos a magnitude de um “visitar” do Amor de Deus aos pobres pecadores. Ainda que alguém considere esse trecho apenas como algo escatologicamente provável, o tenho também por real e palpável. Podemos vivenciar essa plenitude hoje!

A expressão de Isaías como descrição da felicidade da Sião Futura, é a realidade do CRISTO poderoso em nós. A graça salvadora de Cristo e a sua constante presença em nossos corações é a conversão de vários fatores, no qual o profeta enfoca “ O DESERTO e o lugar solitário se alegrarão disto; e o ermo exultará e florescerá como a rosa.”

Ainda que a vida seja um “deserto” ou “lugar solitário” e de fato não se foge de tais realidades, a consolação do ESPÍRITO DE CRISTO nos eleva a alegrar-se, a exultar e vislumbrar a florescência de Sua luz como uma agradável rosa.
O que vejo hoje em algumas igrejas quando se fala de culto de “avivamento”, o que nos transparece é mais um momento extático, fugaz de apenas 2 horas de reunião, onde a realidade de “desertos” e “lugares solitários” não são notórios e tidos por essas pessoas como um “bem”…E que o conjunto dessas securas de vida não os leva a conscientizar, que a presença de Cristo é um banquete de louvor e ações de graças no coração assistido por essas vicissitudes.
Enquanto que a Palavra diz ” Abundantemente florescerá” ainda convivemos com fragmentos da plena alegria em Deus. Ainda que se diz “ jubilará de alegria e cantará”, ficamos na lamúria da nossa existência.
Lembre-se Avivamento não é o escapismo do Cristão ante aos dilemas da vida. O verdadeiro Avivamento está na plena certeza de que em meio as dores e sofrimentos o aperfeiçoamento e fortaleza em Deus nos revigora na caminhada.
Por isso continuo crendo e afirmando que aqueles que querem desfrutar de um avivamento contínuo, duradouro, eficaz terão que sofrer muitas coisas por causa do bom nome de CRISTO. “Retiraram-se, pois, da presença do conselho, regozijando-se de terem sido julgados dignos de padecer afronta pelo nome de Jesus.” (At 5.41)

A vida cristã é marcada por uma trajetória de espinhos…Se você imagina que caminhar com Cristo não resulta em muitas vezes perdas e renúncias, é hora de repensar a sua caminhada. Muitos sãos os gospel mas poucos são discípulos dos quais andam conscientes de que “nós, que vivemos, estamos sempre entregues à morte por amor de Jesus, para que a vida de Jesus se manifeste também na nossa carne mortal. ” (2 Cor. 4.11).

Para finalizar o Reavivamento terá guarida em corações cujo a mensagem divina é tão vívida e experimental. Nada de “romantismo” deve cercar-se a vida cristã avivada, mas da inteira certeza que a ” terra seca se tornará em lagos, e a terra sedenta em mananciais de águas”. De fato o Deus de toda Graça que nos chamou à sua eterna glória, Ele mesmo nos há de aperfeiçoar, firmar, fortificar e fundamentar em toda esse caminho, donde produz pra nós uma longevidade de avivamento.
Por Cristo, nosso real avivamento
Mário Celso

Mulheres Apaixonadamentes Loucas

Por Mário Celso

Quem resistiria aos apelos apaixonados de uma linda mulher? Isso é o que ouvimos diariamente em todos as mídias possíveis. A expressão da beleza feminina estampa-se como um mercado volúvel e solúvel. A sensualidade da alma meiga e cativante brota gigantescamente nessa geração de caça às estéticas…Quanto mais estética menos ética!

O poder sedutor da mulher é retratado de forma taxativa na Bíblia, como algo profundamente inoculador na alma do homem. As advertências da sabedoria e da Palavra contém a força necessária e o argumento verdadeiro para livrar-se desse ‘abismo sentimental’ que está inversamente proporcional a sensatez da vida. A mulher de(a) morte “…sai à caça
de vidas preciosas” (Pv 6.26) numa redução total à desgraça daqueles por elas se enlaçam.
A Palavra nos orienta ter Sabedoria para livrar-se dela. Uma vez que aqueles que buscam a pureza de relacionamentos, deve-se entregar a sensatez e bom siso da Vida na Palavra. “Pois o mandamento é lâmpada, a instrução é luz, e as advertências da disciplina são o caminho que conduz à vida;eles o protegerão da mulher imoral, e dos falsos elogios da mulher leviana” (Pv 6.23).
Os sinais são dados, e que sinais! Tais como a suavidade e doçura no falar, como o sussurrar daquelas belas mulheres hollywoodianas…” Pois os lábios da mulher imoral destilam mel; sua voz é mais suave que o azeite” (Pv 5.3), a formosura a arma indelével “Não cobice em seu coração a sua beleza nem se deixe seduzir por seus olhares…” (Pv 6.25), a armação parecida com cenas globais “A mulher veio então ao seu encontro, vestida como prostituta, cheia de astúcia no coração. Ela é espalhafatosa e provocadora…Ela agarrou o rapaz, beijou-o e lhe disse descaradamente: “Tenho em casa a carne dos sacrifícios de comunhão que hoje fiz para cumprir os meus votos. Por isso saí para encontrá-lo; vim à sua procura e o encontrei! Estendi sobre o meu leito cobertas de linho fino do Egito. Perfumei a minha cama com mirra, aloés e canela. Venha, vamos embriagar-nos de carícias até o amanhecer; gozemos as delícias do amor! Pois o meu marido não está em casa; partiu para uma longa viagem. Levou uma bolsa cheia de prata e não voltará antes da lua cheia”. Com a sedução das palavras o persuadiu,e o atraiu com o dulçor dos lábios.” (Pv 7.10-21)

Cenas dignas de uma bela atriz e grande ator, porém repleta de ais, mortes e destruições. O boi foi levado ao matadouro, e o cervo caiu em um laço. A flecha da sedução corruptora atravessou-lhe o fígado, o belo pássaro saltou dentro do alçapão…A cama outrora perfumada de mirra, alóes e canela tornara-se a intragável mancha fétida na alma e na consciência. Os pés que desceram com ela para momentos “infinitos de delícias e gozos” são os mesmos que desce para a “sepultura, para as moradas da morte“.

A mulher-loucura a todos os instantes convida…Quer está livre dela? Cresça para a Vida e viva a Sabedoria!



%d blogueiros gostam disto: