Arquivo da categoria: A Igreja Atual

O Perdão Divino Como Urgência Humana


Depois de uma dificuldade imensa de colocar o amigo numa maca, vencer uma multidão, subir de forma desumana com um esforço abismal uma casa judaica, abrir o telhado no ponto certo onde o Mestre estava, (Marcos 2) veio então a doce afirmativa do Mestre “Filho, Os teus pecados estão perdoados”.

O homem poderia voltar feliz para a sua casa, junto com os seus companheiros a despeito dessa Boa Notícia do Reino de Deus.
O Perdão dos pecados é a mais urgente atividade divina para toda a humanidade. O perdão de pecados é incomparavelmente melhor do que a cura física.
Porém como havia os “fiscais” da religião opressora, questionaram portanto o poder de Cristo em Perdoar pecados….E para a história ficar mais externalizada para os olhares religiosos, Jesus portanto cura o paralítico, asseverando assim a Sua Autoridade de Perdoar pecados.

Hoje a história se repete…Multidões sendo levadas pelas macas à procura de uma cura física…Mesmo que oferecendo-lhes a Graça perdoadora de Cristo, renega-O a segundo pavimento…Ora o PERDÃO é a mais urgente solução para o homem caído da Graça de Deus.

Mário Celso

Anúncios

A Bela Incerteza! O "Ser-Belo" E O "Belo-Ser"


É bom ficar claro em nossas percepções de vida e do mundo, que nessa existência tão bondosamente paradoxal, algumas incertezas são concretas e palpáveis. Incertezas essas que geralmente são frustrações àqueles que determinaram a pensar que a caminhada dessa vida é como um rio sem pedras e desvarios.

Num mundo da esteticidade, do culto ao estereótipo, dos glamours, dos holofotes dos belos invólucros e performance,vou colocar a beleza como umas das grandes incertezas. Nem tudo que é beleza é destreza, e até certo ponto causa tristeza…”Enganosa é a graça e passageira é a formosura, mas a mulher que teme ao SENHOR, será louvada” (Pv 31.30). Isso parece simplório, mas existe aqui uma verdade robusta e carregada de sentidos, em todos os sentidos.
A figura da mulher abordada pela Bíblia, é de todas a mais empolgante, na qual a usa para trazer a nós profundas lições. Esse texto de Provérbios 31, aponta a virtude da mulher sensata, séria nos seus compromissos e deveres, mas ao mesmo tempo nos esclarece a incerteza da estética feminina quando não reverencia à vida e nem tampouco a Deus. Tudo então se torna vazio e enganoso, quando avaliamos a beleza como primeiro aspecto do “viver bem a vida” em detrimento da justiça, da ética e verdade.
Note bem, não estou fazendo apologética a tudo aquilo que seja feio, e nem tampouco afirmo que tudo que é feio é honesto…Nada disso. O que transmito aqui, é a vaidade da excentricidade do “ser-belo” como a mais linda incerteza, do contrário o “belo-ser” se torna louvável, quando cultuamos ao Verdadeiro Amor.
Esse é o duelo: o “ser-belo” versus “belo-ser”. O que queres ser?
Mário Celso

Temer a Deus, Uma Boa Idéia!


Nessa manhã lendo o livro de Eclesiates, me deparei com uma das mais belas expressões de sabedoria do rei Salomão…” Ainda que o pecador faça o mal cem vezes, e os dias se lhe prolonguem, contudo eu sei com certeza, que bem sucede aos que temem a Deus, aos que temem diante dele.” (Ecles. 8.12). Passei alguns instantes meditando, ponderando fatos e recitando isso em minha mente.

Alguns acreditam que Salomão teve uma visão pessimista da vida ao escrever esse clássico de sapiência da vida oriental. No entanto, verdades são retiradas do seu clamor, ao presenciar a vida, ora sendo injusta, ora cheia de momentos felizes “debaixo desse sol” da existência.
O pecador goza da volúpia de desejos que aquece o seu coração e faz disso o seu projeto de vida…E se prolonga na mais divertida maldade de expulsar o bem e a paz dos outros, posto que do mal se alimenta. Esse é o seu contentamento.
Do outro lado, existia em Salomão a convicção plena do melhor projeto humano de vida. A semeadura do bem produzida por corações tementes a Deus. Michael A. Eaton e G. Lloyd Carr, no seu livro-comentário “Eclesiastes e Cantares” afirma: é digno de nota que, enquanto o pregador diz com tanta frequência “vi…”, a resposta dele, aqui, é prefaciada por eu sei. As injustiças da vida estão abertas para que todos as vejam; a resposta do pregador não é uma observação, mas a resposta da fe´.Nisso consistia a percepção de Salomão ao ver a vida, contudo ele deixa registrado que, o maior ganho que o ser humano pode galgar é o “bem” de uma vida resoluta e piedosa a Deus. A fonte de todo o bem está na reverência a Deus e a vida. Guardar a Sua Palavra nos faz bem, desonrá-la é suicídio na certa. O profeta Isaías sabia desse “bem” e conclamou “ Dizei ao justo que bem lhe irá; porque comerão do fruto das suas obras. ” e ainda afirma num tom escatólogico “porque os dias do meu povo serão como os dias da árvore, e os meus eleitos gozarão das obras das suas mãos. “

Aqui está o arrimo da nossa alma, ao ver tanta impiedade e horrendas maluquices da mente humana a industrializar mais maldade em todos os seus perfis, notamos a grande fonte de lucro espiritual tanto nessa vida como no porvir, do qual Paulo esclarece com veemência a Timóteo, “…Mas é grande ganho a piedade com contentamento“, após declarar que a piedade para tudo tem proveito e ainda sim, uma promessa para vida presente e da que há de vir.
Portanto, quem está sujo, se suje mais ainda…
E aos que buscam a piedade e querem viver piamente seguindo a Cristo, terá “A vida eterna aos que, com perseverança em fazer bem, procuram glória, honra e incorrupção…”(Romanos 2:7)
Com amor,
Mário Celso


Um "Piercing" No Coração.A Mensagem De Pedro

Por Mário Celso

O ambiente do Pentecostes tomava conta do lugar e das pessoas. A descida veemente do Espírito sobre os discípulos de Cristo foi a marca do genuíno mover de Deus naquelas vidas. A distribuição e a concessão do Espírito era a característica daquele evento glorioso.

Logo o “fogo” do Evangelho se espalhava nos corações abraseados. A multidão ali reunida de várias nações, ouve em sua própria língua “as grandezas de Deus”. Perplexidades e questionamentos tomavam conta dos ouvintes.
Algo diferente naquele lugar. Pentecostes naquele dia não ficou somente atribuída a uma festa de ritos e reuniões de judeus e prosélitos do judaísmo. Pentecostes é “falar das Grandezas de Deus” na língua do Espírito Santo, de forma inteligível, onde todos possam entender o plano de Deus para a humanidade e também a mensagem triunfante da Ressureição de Jesus Cristo.
E disso Pedro toma como a sua mensagem principal naquele dia. A promessa de Joel se concretizara. Jesus, o homem aprovado por Deus com sinais e prodígios e entregue aos homens para ser morto, pelo determinado desígnio e presciência de Deus, ressuscita e rompe os grilhões da morte…Portanto não podia morte retê-lo!
Pedro finaliza a mensagem afirmando que tal acontecimento só foi possível, devido o sofrimento do Messias rejeitado, crucificado, porém aprovado por Deus ressuscitando-o dentre os mortos.
E Pedro veemente diz “Esteja absolutamente certa, pois TODA a casa de Israel de que a este Jesus, que vós crucificastes, Deus o fez SENHOR e CRISTO”. A tônica cristocêntrica de um coração fortalecido pelo Espírito não podia faltar no coração de Pedro.
Que tipo de mensagem ouvimos hoje? Uma mensagem cristocêntrica ou excêntrica? Uma mensagem sentimental recheada dos exageros ” pentecostais” ou uma Mensagem sobre o Poder do Evangelho de Cristo?
O verdadeiro mover do Pentecostes se faz necessário pela objetividade da mensagem do Cristo Ressureto e não pela subjetividade de elementos estranhos à Palavra, donde aparece apenas a caricatura do Espírito e não a sua real presença.
A mensagem de Pedro traz compunção, pungimento e contrição nos corações de todos. A Palavra nos diz que “ouvindo eles estas coisas, compungiu-se-lhes o coração e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, irmãos?” (At 2.37). A palavra “compungir” no original( κατανυσσω, que só aparece uma vez aqui em todo o Novo Testamento) nos traz a idéia de picada ou furo de forma a atormentar a mente agitando-a violentamente. É o furo no coração de quem ouve a mensagem de Deus, trazendo-lhes contrição, aflição e portanto arrependimento sincero nos corações.
A mensagem por acaso que ouvimos hoje, causa tal impacto nos corações modernos? Está perfurando, como num piercing, de fato as idéias e convicções do homem, ou apenas consentido-o e acalentando o seu erro?
A resposta de Pedro para os tais e para todos é “ Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo; Porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos, e a todos os que estão longe, a tantos quantos Deus nosso Senhor chamar. E com muitas outras palavras isto testificava, e os exortava, dizendo: Salvai-vos desta geração perversa.” (At. 2. 38-40)
Esse é o piercing que Pedro usava em suas mensagens.

REAVIVAMENTO PLENO. ISAÍAS 35


O reavivamento proposto pela Palavra de Deus é a plenitude da graça de Deus entre nós. É a uniformidade dos desígnios divinos no caminhar humano. Ao lermos Isaías 35 percebemos a magnitude de um “visitar” do Amor de Deus aos pobres pecadores. Ainda que alguém considere esse trecho apenas como algo escatologicamente provável, o tenho também por real e palpável. Podemos vivenciar essa plenitude hoje!

A expressão de Isaías como descrição da felicidade da Sião Futura, é a realidade do CRISTO poderoso em nós. A graça salvadora de Cristo e a sua constante presença em nossos corações é a conversão de vários fatores, no qual o profeta enfoca “ O DESERTO e o lugar solitário se alegrarão disto; e o ermo exultará e florescerá como a rosa.”

Ainda que a vida seja um “deserto” ou “lugar solitário” e de fato não se foge de tais realidades, a consolação do ESPÍRITO DE CRISTO nos eleva a alegrar-se, a exultar e vislumbrar a florescência de Sua luz como uma agradável rosa.
O que vejo hoje em algumas igrejas quando se fala de culto de “avivamento”, o que nos transparece é mais um momento extático, fugaz de apenas 2 horas de reunião, onde a realidade de “desertos” e “lugares solitários” não são notórios e tidos por essas pessoas como um “bem”…E que o conjunto dessas securas de vida não os leva a conscientizar, que a presença de Cristo é um banquete de louvor e ações de graças no coração assistido por essas vicissitudes.
Enquanto que a Palavra diz ” Abundantemente florescerá” ainda convivemos com fragmentos da plena alegria em Deus. Ainda que se diz “ jubilará de alegria e cantará”, ficamos na lamúria da nossa existência.
Lembre-se Avivamento não é o escapismo do Cristão ante aos dilemas da vida. O verdadeiro Avivamento está na plena certeza de que em meio as dores e sofrimentos o aperfeiçoamento e fortaleza em Deus nos revigora na caminhada.
Por isso continuo crendo e afirmando que aqueles que querem desfrutar de um avivamento contínuo, duradouro, eficaz terão que sofrer muitas coisas por causa do bom nome de CRISTO. “Retiraram-se, pois, da presença do conselho, regozijando-se de terem sido julgados dignos de padecer afronta pelo nome de Jesus.” (At 5.41)

A vida cristã é marcada por uma trajetória de espinhos…Se você imagina que caminhar com Cristo não resulta em muitas vezes perdas e renúncias, é hora de repensar a sua caminhada. Muitos sãos os gospel mas poucos são discípulos dos quais andam conscientes de que “nós, que vivemos, estamos sempre entregues à morte por amor de Jesus, para que a vida de Jesus se manifeste também na nossa carne mortal. ” (2 Cor. 4.11).

Para finalizar o Reavivamento terá guarida em corações cujo a mensagem divina é tão vívida e experimental. Nada de “romantismo” deve cercar-se a vida cristã avivada, mas da inteira certeza que a ” terra seca se tornará em lagos, e a terra sedenta em mananciais de águas”. De fato o Deus de toda Graça que nos chamou à sua eterna glória, Ele mesmo nos há de aperfeiçoar, firmar, fortificar e fundamentar em toda esse caminho, donde produz pra nós uma longevidade de avivamento.
Por Cristo, nosso real avivamento
Mário Celso

Pastores Exterminadores do Rebanho

Mário Celso
A promessa do Pastor divino para conduzir o povo de Israel está carregada de “ais” e sentenças duras e fortes contra pastores infiéis. O duro discurso de Jeremias, o profeta, aos líderes de Israel nos pinta um quadro de desordem e caos na condução espiritual do povo. Quando a sentença do profeta alarda…”Ai dos pastores que destroem e dispersam as ovelhas do meu pasto!” nos vem a mente cenas de escrupulosos que expôem indefesas ovelhas perante a crueldade dos vorazes lobos…Sendo o próprio lobo-pastor o exterminador de ovelhas errantes.

O cuidado pastoral na Bíblia tem um destaque marcante, visto que sempre existirão ovelhas feridas, machucadas, quebradas à espera de um pastor-amor restaurando-lhes e sarando as suas mazelas…A simbologia bíblica do Antigo Testamento de ovelha e pastor é tão vívida no plano-histórico que ganhou guarida e instrução até mesmo no Novo Testamento. Não se deve fugir disso.
Ao lermos Jeremias 23 nos é imprimido que em cada ato divino no tocante a guiar o povo de Israel, Deus deixou o seu rebanho para o cuidado pastoral de sacerdotes, reis e profetas. Acontece que tais pastores fizeram o modo contrário da coisa. Em vez de edificarem eles destruíram. No lugar da unidade-comunidade eles dispersaram. Ao invés do cuidado e proteção eles afungentaram, expulsaram e feriram.
A leitura de Jeremias nos coloca no contexto sócio-hierárquico-ministerial de nossa nação Brasil. Pastores que usam e abusam desse título afim de destruir muitas vidas. Vejo muita gente afirmar “naquele lugar mesmo tendo pastores corruptos existem pessoas que se ‘salvam’…Acreditava nisso até o dia que me deparei com a afirmação sólida de Cristo Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que percorreis o mar e a terra para fazer um prosélito; e, depois de o terdes feito, o fazeis filho do inferno duas vezes mais do que vós. Mateus 23.15

O pastor-exterminador ele se utiliza da sórdida ganância, do proselitismo barato e atraente e produz filhos do inferno. A negligência para o cuidado das ovelhas é uma outra característica dos exterminadores. Os pastores de hoje, que mais se parecem com um popstar , jamais terão o cuidado e proteção à vidas…Os exterminadores de rebanho estão tão inserido no meio evangélico que a coisa vai ganhando força e peso. Cito agora alguns exemplos e características desse pastores como desembocadores de extermínio de fé no coração:
Pastor-intinerante. Não pastoreia, só passeia;
Pastor-artista. Não tem edificação para o povo, mas tem muitas peças teatrais para apresentar no púlpito;
Pastor-dirigente de culto. Engana-se achar que quem sabe dirigir bem um culto, sabe conduzir bem um rebanho. Dirigir culto é uma coisa, pastorear é outro.
Pastor-Administrador de Empresa. Depois que o evangelho se tornou capitalista e altamente lucrativo, é bem melhor administrar os recursos materiais do povo a pastorear as suas almas;
Pastor-Levita. Com essa onda toda de comunidades cantantes, os “levitas” utilizam toda estratégia musical para atrair pessoas (nada contra os que utilizam a boa música como instrumento para evangelização) e se doam em ‘ministério’ de louvor, colocando o “louvor” o meio principal de suas mensagens de entretenimento…
Pastor-Construtor. Aquele que foi designado para construir templos e catedrais. Sabe tudo de construção e quase nada de edificação de vidas pela Palavra;
Pastor-Marionete. Está sempre regido pelo sistema hierárquico, conhece muito bem a cartilha-bíblia da sua denominação e nada de Palavra!;
Pastor-nota de rodapé. Conhece a Bíblia apenas pelas notas teológicas de suas bíblias-livro, sempre condicionado à nota homilética do texto, ou ao pensamento da instituição reinante…
Pastor-CTRL-C. Adora copiar sermões na web e CTRL-V nos púlpitos…
Bem, a lista seria muito enorme, mas vou parar por aqui.
Termino dizendo, pastores que destroem, dispersam e afugentam muitas vidas, está nítido, é real e ao mesmo tempo assustador!
O meu povo tem sido ovelhas perdidas; seus pastores as fizeram errar e as deixaram desviar para os montes; do monte passaram ao outeiro, esqueceram-se do seu redil.” Jeremias 50.6
Que o Senhor Jesus, o bom pastor, nos guarde de todo o mal

Língua Mortífera

Uma flecha mortífera é a língua deles; fala engano; com a sua boca fala cada um de paz com o seu próximo mas no seu coração arma-lhe ciladas. (Jeremias)


A capacidade de dissimulação de um coração que se encobre de engano, mentira e toda sorte de males é a marca da geração atual.É só observar o mediatismo enfurecido em todos os lados. Os melhores filmes, os melhores dramas, o melhor ator ou quem quer que no mediato se posicionar, se não existir os artifícios da maldade camuflada de um bondadismo(pretexto da bondade ao serviço do mal) já não comprometerá tantos expectadores coniventes desse mal.

A língua(fala) no que se concerne a produção vinda do coração que se arma como um arco para prejudicar o próximo, é talvez pior do que um morticínio. O engano é o veneno dessa áspide oral. A exclamação de Jeremias no contexto de intensas mentiras, falsas expectações geradas por essa flecha mortífera é de fato espantosa…Tal coisa se repete em nosso meio. Expressões de uma paz ao próximo num tom poético e até romântico crescerá muito nesses últimos dias de trevas, donde os incautos corações apaixonam-se por tais falácias tão “firmes”.

No entanto a CILADA é o bote esperado…Nessa peçonha muitos se afligirão e morte na certa!

Portanto muito cuidado com a Astuta Cilada do Poder Humano! E de muitas potestades que se estabelecerão…

Nesses dias tão difíceis de sobreviver é hora de atentarmos com mais intensidade à Palavra Viva…Cristo, A Verdade.

Com Amor,

Mário Celso

%d blogueiros gostam disto: